Cronópios Editora

Um espaço de discussão e aprendizado para professores de Língua Portuguesa.

7.2.08

Mas, afinal, o que é um cronópio?

Muitas são as discussões a respeito desse termo, criado por Julio Cortázar em 1952, quando aparece no título de um artigo sobre Louis Armstrong. Dez anos depois, o livro Histórias de Cronópios e de Famas apresenta os cronópios como “objetos verdes e úmidos”, protagonizando 20 histórias, ao lado dos famas e das esperanças. Personagens de ficção, metáfora para poetas e loucos, criaturas sensíveis e idealistas que “perdem a conta dos dias”, que seja. Nada melhor do que definir um cronópio através de uma de suas histórias.

“Agora acontece que as tartarugas são grandes admiradoras da velocidade, como é natural. As esperanças sabem disso e não ligam. Os famas sabem e caçoam. Os cronópios sabem e, cada vez que encontram uma tartaruga, puxam a caixa de giz colorido e na lousa redonda da tartaruga desenham uma andorinha.”

Acreditamos que trabalhar com educação seja mais ou menos isso: desenhar andorinhas no casco das tartarugas. Por isso, somos cronópios.

2 Comments:

  • At 14/02/2008 10:07, Anonymous Anônimo said…

    MARAVILHOSO!
    Buenas salenas
    cronópio, cronópio
    Parabéns.
    Sempre vou dar uma passada por aqui!

    Susan Blum

     
  • At 14/02/2008 13:42, Blogger Cronópios Editora said…

    Trégua catala espera, cronópio cronópio. Seja bem vinda, Susan, e passe mesmo sempre por aqui!

     

Postar um comentário

<< Home